Ótima semana!

Essa é uma singela homenagem à todo o povo de Olinda!!!!!! Kkkkkkk

Anúncios

Plural

Você nunca precisou bater, sempre pôde entrar quando bem quisesse e entendesse, mesmo assim nunca veio, sequer notou que era bem vinda e que eu te esperava.

Agora você se lamenta pelo erro que cometeu, não aceita ter errado, prefere não acreditar que foi ingenua, idiota; queixa-se da vida, generaliza conceitos, não se assume incompetente pro amor.

Apesar de tudo lhe desejo uma trajetória feliz, e embora não tenha tido a oportunidade de te conhecer, ou de ao menos saber quem você é de verdade, desejo que seu recomeço seja menos doloroso e mais sóbrio.

Só não te ofereço o ombro e a alegria do reencontro, afinal, você não os merece e hoje vejo que nunca mereceu, aliás, acho que a indiferença lhe cai muito bem.

Devolver gentilezas e retribuir carinho, definitivamente não fazem parte do seu cotidiano; e sua indiferença e apatia demosntram claramente isso. Por isso, Adios!

MPB 4

Por quem merece amor

Te perturba esse amor?
Amor de juventude
Meu amor é amor de virtude.

Te perturba esse amor?
Sem máscaras por trás
Meu amor é uma arte de paz .

Te perturba esse amor?
Amor de humanidade
Meu amor é amor de verdade.

Te perturba esse amor?
Com todos ao redor
Meu amor é uma arte maior.

Meu amor, minha prenda encantada
Minha eterna morada
Meu espaço sem fim.

Meu amor não aceita fronteira
Como a primavera
Não escolhe jardim.

Meu amor, não é amor de mercado
Esse amor tão sangrado
Não se tem pra lucrar..

Meu amor é tudo quanto tenho
E se eu vendo ou empenho
Para que respirar?

¿Te molesta mi amor?
Mi amor de juventud
Y mi amor es un arte en virtud

¿Te molesta mi amor?
Mi amor sin antifaz
Y mi amor es un arte de paz.

¿Te molesta mi amor?
Mi amor de humanidad
Y mi amor es un arte en su edad

¿te molesta mi amor?
Mi amor de surtidor
Y mi amor es un arte mayor.

Meu amor, alivia e acalma,
É o remédio da alma,
Pra quem quer se curar.

Meu amor é humilde é singelo
E o destino mais belo
É torná-lo maior.

Meu amor, o mais apaixonado,
Pelo injustiçado,
Pelo mais sofredor.

Meu amor abre o peito pra morte,
E se entrega pra sorte,
Por um tempo melhor.

Meu amor,esse amor destemido,
Arde em fogo infinito,
Por quem merece amor.

Viva o Carnaval!!!

Parece meio estranho, mas desde que me entendo por gente meu envolvimento com o carnaval sempre foi pautado pelo trabalho, vejam bem, eu disse desde que me entendo por gente! Porque antes disso, subi e desci incontaveis ladeiras em Olinda, bebi muito, e beijei bocas tão estranhas e inesquecíveis como as ressacas que curti no pós festa; um passado do qual não me orgulho nem um tiquinho.

Mas como dizia no início, meu envolvimento com o carnaval a partir do momento em que me descobri um ser “pensante”, passou a ser pautado pelo trabalho, e quase sempre de repórter no meio da muvuca; na maioria das vezes impulsionado pelo desejo de incorporar a experiencia ao meu currículo. Mas de uns anos pra cá, já calejado pelas desventuras de minha profissão, e mais crítico do que nunca, afastei-me definitivamente do evento, e por conseguinte da festa.

É que com o passar dos anos, me descobri apaixonado pelo carnaval, mas avesso à folia; percebi que enquanto manifestação cultural a festa em sua essência é belíssima, fantástica e tb pouco conhecida; que na verdade ela acontece todos dias, e não apenas durante três dias em que se apresenta ao mundo. E o carnaval nunca deixa de existir porque é a razão de viver de muita gente: compositores, intépretes, artesãos, músicos, pessoas que o vivem diuturnamente; enfim, ele é maior do que podemos enxergar, embora seja invisível aos olhos dos que se jogam e se embriagam enquanto o “festejam” apenas e durante três dias.

Mais uma vez estarei à distância comtemplando a festa que se desenrola nas ruas, vendo de longe a alegria insana de quem proclama o carnaval como uma celebração ao escárnio dos valores morais , uma grande oportunidade de se embriagar e rir da sua própria desgraça, de buscar na celebração do rídiculo, um remédio para sua própria ignorância. Esse não é o carnaval que eu curto, e hoje tenho certeza de que nunca foi; quanto ao outro a que me referi, o “verdadeiro e invísivel”, quem sabe não vira dissertação de Mestrado né??? Rsrsrsrs. Então, seja lá qual for o seu, divirta-se e celebre o que lhe der na cabeça.

Bjos e abraços.