Pró- labore

E no apagar das luzes, nos últimos dias desse atribulado ano de 2009, eis que meu “presente” chegou; demorou é fato, mas chegou.
Nunca achei que estivesse no lugar certo, mas hoje, e mais do que nunca, tenho certeza de que escolhi a carreira errada sabe…

Dificil ser autêntico e ser antes de qualquer coisa o que quero; não o que desejam que eu me torne.

Não é a atividade, mas as pessoas…

Doentes.

Nem lá, nem cá.

Existem mulheres chatas, pegajosas, autoritárias, sufocantes, desagradáveis, que se perdem por si próprias, e tornam a convivencia com alguém racional, indesejável e impraticável; essas casam logo, e a maioria de nós, homens, se agara com elas!!!! Mais cedo ou mais tarde a gente se envolve, com essa raça, namora, noiva, casa, constituí familia, divide o plano de saúde, a casa, o carro, e vive entendiado por todo o sempre, assistindo futebol, vendo a barriga crescer, e de olho na empregada da vizinha.
Mas, no meio desse universo medonho que é o feminino, existem mulheres que apenas nos observam, são interessantes, inteligentes, mas não se esforçam pra aparecer, sua presença lhes basta, elas se fazem notar naturalmente, e se impõem mais pela ausencia do que pela presença contínua e incoveniente, essas sim, são perigosas, apaixonantes, e embora leve um pouco mais de tempo, essas feras acabam encontrando alguém legal, e fazem esse alguém muito feliz…

Paciência é o meu nome.

Feliz Natal !!!!!!!!!!!!!!!


Já ia me esquecendo de falar do Natal, apesar dos pesares, tudo transcorreu na boa. Amo minha pequena família, e ficar ao lado dela foi super legal.

Pena que a melancolia do período sempre me traz a lembrança de uma fase maravilhosa que vivi, de pessoas que amei e se foram, de outras que adoram mas não tenho por perto, de oportunidades que não abracei; mas, tudo bem, ficou o aprendizado.

Sem paciência IV

Por que pra algumas pessoas insistem em acreditar que tudo que chega fácil é mais gostoso??? Elas estão certas , ou eu estou errado quando acho que tudo que conseguimos com sacrificio, ralação, esforço, levando porrada, acaba sendo mais prazeroso no final????

Será que sou masoquista? Ou por ter sofrido pra caramba, e quebrado muito a cara, incorporei a idéia de que pra ser bom, tem que ser fruto de muito esforço, sangue, luta, renúncia???

Se eu tô errado , eu tô lascado é??? Acho que não… Mas se tô , beleza; tô lascado mas consegui o que queria… Então o lascado não é tãooooooooo lascado né? Né?????

Sem paciência II

Relatórios pra fechar, casa suja de poeira do marceneiro, material da faculdade pra acabar, família longe(ainda bem), mas nesse momento fazendo falta… Pessoas que queria perto também distantes(elas escrevem sua própria história, óbvio…), calor, fome, raiva, indignação, mágoa, arrependimento, impotência.

Sem paciência I

Quanto mais o tempo passa, mais aumenta a minha convicção de que nada, absolutamente nada, pode me fazer abrir mão da liberdade; definitivamente não nasci pra ser infeliz; não aceito dividir meu prazer em respirar , não ter hora, não ter tempo, mas ao mesmo tempo ter tudo, tudo, tudo, tudo que mais faz bem , sempre perto e à mão.

Quem quiser que conjecture acerca das infinitas possiblidades de ser feliz casado; do meu lado, prefiro acreditar que posso ser feliz com alguém sim, desde que esse alguém esteja no seu canto, longe de mim!!!!!!! Pelo menos até em que num belo dia sua ausencia me pareça incontornável, e sua presença por 24 horas, imprescindível.