Di Vino!!!!!!!

Tive um dia sossegado, e terei uma looooooonga jornada… Mais uma madrugada pra relatar um processo, mais uma… Mas ao menos a noite foi legal, muito legal, a atividade na pós foi super divertida, e a interação com as pessoas foi ótima.

A cada dia tenho descoberto mais gente interessante e desinteressada, pessoas divertidas, que têm me enriquecido com experiencias que vão deixar muita saudade quando a Pós acabar. Definitivamente fazer o que a gente gosta é muito prazeroso, e ser estimulado a pensar/fazer comunicação, aguça minha criativade e me faz muito feliz.

Não me vejo fazendo outra coisa, e olha que por força das circunstâncias eu já faço… Rsrsrsrs.

PS: trocar de email me valeu uma boa dose de privacidade, nem arrisco acessar a conta antiga, pq sei que certamente não me faria bem; num fim de noite como o de hoje, receber uma carga de mágoa e angústia alheias não seria nada proveitosos ou justo. Cansei. Viva eu, e viva o bolo de rolo!!!!!!!

Anúncios

Veja, mas não de perto…

Recado postado, agora é só aguardar emails doloridos, e manifestações de dor aguda das partes afetadas, ou das que por ventura adequem-se à esta virtual carapuça…

Isso é muito chato, cansei desse dramalhão mexicano à lá Maria das dores/Bairro/Merces/Praia. Minha gente vivam!!!!! E tenham postura de gente! Reconheçam o valor da amizade, não traiam a confiança de quem julgam amigo(a), respeitem limites, tempo, individualidade, frescuras, a chatice de quem vcs se propõem amar.

A falta de limites e de respeito, satura, desgasta e destrói qualquer relação, seja qual for o estágio/nível em que se encontre.

Conheço o perdão e também o amor, gosto dos dois, mas meu tempo é só meu.

E acho que fui bem claro.

1ª Tentativa

Qual o limite entre a força e a inteligência? Será que ter bom senso é algo tão irrelevante quanto negligenciar a necessidade de silêncio, privacidade, e o direito do outro de simplesmente centrar-se em si mesmo?

As possibilidades ilimitadas da internet, nos proporcionam viagens as mais diversas como também a oportunidade de aproximarmo-nos do outro sem que ele o saiba;ou ao contrário, sufocá-lo, invádi-lo, importuná-lo , e sem precauções , cuidados, limites, respeito, respeito eu disse.

Desde que tornei-me cidadão virtual, assumi o risco de expor minha imagem dentro desse amibiente de fluxos (Mcluhan), crendo que aos demais restaria acompanhá-la guardando os devidos limites impostos pela precaução; mas… Não tem sido assim. Como também é fato que ainda não estabelecemos os limites a serem observados dentro nesse universo, ou sequer os discutimos né?? Sei disso, mas esperava ao menos bom senso.

Mas o que posso afirmar por hora é que tenho trabalhado muito, empregado meu tempo em questões importantes e diversas, e que o pouco que tem me restado, tem sido aplicado na tarefa mais prazerosa e necessária ao restabelecimento do meu estado físico e de nervos : Dormir. Portanto, acessar um caixa de emails recheada de lamúrias e dores de quem ainda não decidiu o que quer da vida, mas apenas que quer receber algo patrocinado por mim; não vinha sendo algo prazeroso… Também pudera né!

Quem me conhece(ou supõe que sim), sabe que meu humor é instável, e que quase sempre as tentativas de invasão do meu espaço, inevitavelmente me conduzem ao desenvolvmento de uma antipatia e de um total desprezo a quem envereda por esse caminho; por isso já troquei de telefone, mudei o endereço do blog, mudei de email… Mas, acho que em breve serei forçado a adquirir um novo chip, excluir o blog, mudar de casa, trocar o endereço eletrônico ou até mudar de país!

Nem enquanto estive no ar a um tempinho atrás, me senti tão invadido e chateado ´pelos ouvintes mais malas que já tive; caramba, eu não tô afim de falar sobre amizade, sinceridade, amor, carinho, coisas banais, nada, nada, nada, nada, com quem não me respeita e simplesmente me sufoca; só quero a proximidade e a amizade das pessoas que admiro, que respeitam meus limites, não me questionam sobre banalidades e conceitos que julgam absolutos e incontestáveis, e que portanto, estimo. Sim, eu quero essas pessoas por perto, e desejo nunca perdê-las , mas sempre tê-las ao alcance do coração, ainda que longe de mim.

Portanto, para o bem de todos(as) vcs que nasceram e morreram rapidinho pra mim, e aos que sequer duraram uma gestação, e felizmente não são muitos(as); aí vai o recado: Deixem-me, respeitem-me, afastem-se, vivam e deixem-me viver do meu jeito e no meu canto.

Depois não digam que não avisei. E é isso.

Dá pra ir lá?

Acabei de chegar em casa, e mais uma vez abrindo a janela o cheirinho de festa junina invadiu a sala. Clima frio, cidade esfumaçada, cheirinho de fogueira…

Já postei algo sobre o meu saudosismo junino no dia 23 próximo passado, mas como não tinha me dado conta de que hj mais um vez o povo acenderia fogueiras, acabei me surpreendendo e ficando feliz com o quadro; pois é, feliz sim. É que o cheiro de festa mesmo ainda que distante, mais uma vez me fez mergulhar num monte de recordações, e sentir muita saudade de pessoas que passaram por minha vida num momento muito feliz, e daquela vida sem muita pressa que me fazia bem sem que eu soubesse.

Saudade grande, muito grande mesmo; daquelas que dão nó na garganta sabe… Da minha casa, da minha família, do meu pai, do bairro onde eu cresci, dos amigos, que se foram, da falta de compromissos e responsabilidade com um monte de coisas que hj me atormentam. Crescer é chato e incomoda; sorte de quem não se dá conta disso.

Saudade.

Trilha do FDS.

Não precisa ser chato nem brega pra falaz de amor né? Claro que não. Por isso curto bandas e artistas que expressam idéias e sentimentos, inclusive o amor, sem serem melosos, chorões…
Afinal, quem conduz ou fala de um amor sem uma certa dose de “racionalidade”, incorre no risco de tornar-se enfadonho, cansativo, dispensável.

Sou fão do morrisey e não é de hoje. Por esse e por outros motivos, definitivamente tenho um pé fincado na década de 80; graças ao meu bom Deus.

Morrisey- My Love Life(SAP VERSION)

Come on to my house
Venha pra minha casa
Come on and something new

Venha e faça algo novo
I know you love one person so
Eu sei que você ama tanto uma pessoa
Why can’t you love two?
Por que você não pode amar duas?

Give a little something
Dê um pouquinho(de amor)
Give a little something
Dê um pouquinho
To My Love Life
Para minha vida amorosa
To My Love Life
Para minha vida amorosa
My Love Life
Minha vida amorosa
Oh…

I know you love one person so
Eu sei que você ama tanto uma pessoa
Why don’t you love two, love?
Por que você não pode amar duas?
Oh, love to
Amar duas

Give a little something
Dê um pouquinho(de amor)
Give a little something
Dê um pouquinho
To My Love Life
Para minha vida amorosa
To My Love Life
Para minha vida amorosa

My Love Life
Minha vida amorosa
Oh

Pq será que gosto tanto do Morrisey???

Sick

Tô precisando conversar, é sério; tô perdendo a confiança nas pessoas, me surpreendo negativamente com tantas outras, e me sentindo perdidão, precisando muito conversar mas sem saber com quem.

Nunca mais me abro totalmente, nem deixo que saibam de tudo que se passa comigo; nas últimas vezes que fiz isso quebrei a cara, acabei deixando subentendido que havia passado uma procuração delegando o direito de me representarem e expressarem meus sentimentos e interesses; complicado né? mas foi assim.

Pois é, tá complicado…Tô precisando conversar, pq realmente acho que tô doente, mas como quem se dispõe ouvir, sempre quer algo em troca, nem que seja a tal procuração, a coisa se complica. E agora???

Só queria ter certeza de que o cara que inventou o twitter se parecia comigo, que tb queria saber onde todo mundo está, com quem e o que poderia estar fazendo, só pq ele era o caçula da família(xero Nath!), talvez pq tivesse pouquíssimos amigos de verdade, ou pq tb sempre se dava mal nos inúmeros relacionamentos que encarava ou tentava encarar… Isso me tranqulizaria sabe, e bastante; pq mesmo chateado teria certeza de que ao menos em breve eu teria alguma idéia genial e tb ficaria milionário!

Queria conversar a madrugada inteira, me sentir ouvido sem preconceito, e talvez amado sem restrições, amado no sentido latu sensu.

Tenho certeza de que preciso conversar, e quase certeza de que preciso de ajuda.

Nada sério, só carência afetiva.

Como será????


Tava pensando numa coisa agora pouco; como ficarão as coisas com o fim da Pós em Outubro??? Não tava querendo pensar nisso, mas as perdas recentes e o sentimento de impotência a que elas me remeteram, me conduziram a esse questionamento; enfim, como será?

Me apego e me adequo facilemente a tudo e todos, armo a barraca e começo a achar que nada que seja bom precisa acabar; e que nunca mais vou sair desse cantinho que curto; bater papo depois da aula, rever as pessoas, criticar outras, rir…(coisa que faço pouco)tem sido legal,muito. Mas acabará, óbvio. E sim, eu sentirei bastante…

Voltar a fazer rádio, malhar, inglês, gastronomia, quem sabe outra pós… Agora só uma, prometo!!!!!

Pensar, pensar, pensar… tenho 4 meses.