TANGHETTO

Madrugada de sábado, acabei de chegar do show do Tanghetto no teatro da UFPE; os Argentinos da banda dão uma roupagem eletrônica ao tango, com muitos samplers, projeções bem legais, e além do repertório autoral fazem alguns covers, hj por exemplo rolou sting e blue monday do New Order, enfim, algo digno de ser visto e ouvido.

Mas… O motivo deste post foi registrar minha consternação frente à duas situações, a primeira diz respeito ao público presente, metade do teatro tava vazio… Algo que me deixa profundamente entristecido, meio que desesperado , e que fez sair do teatro com ar de perdedor, com a sensação de que nunca mais verei o grupo por aqui, já que certamente alguém levou prejuízo, eles ou quem os trouxe…Falta de mídia? Falha da produção? Assesoria? Acho que tudo junto.

Prova dessa falta de comunicação, foi a nota que o blog Social segunda passada , dizendo que o show seria do BAJOFONDO, que faz um som parecido ao do TANGHETO, salientando inclusive que uma das músicas era sucesso de uma novela Global, algo como um salvo-conduto, uma menção honrosa que atestasse o talento do grupo; ao passo que o mesmo blog ao perceber o erro, não se deu sequer ao trabalho de corrigir o equívoco, limitando-se a postar no dia do show a notícia corrigida, como se nada tivesse acontecido.

Entretanto, abro agora minha caixa de emails e me deparo com um panfleyo virtual dando conta de que o show de uma “banda” de forró que gravará um DVD fantástico, óbvio com letras bem legais e ritmos nunca antes ouvidos por aqui, simplesmente já esgotou todos os ingressos colocados à venda, e olha que o show será Junho ou Julho… E aí pergunto, tem alguma coisa errada acontecendo? Ou é assim mermo que a banda toca?

Sou profissional de comunicação e não deveria estar discutindo o tema, sei como a coisa funciona mas minha indignação vem da constatação de que cada vez mais estamos sendo bombardeados pela mesma contra-cultura, e pela indútria da mediocridade aqui instalada que prospera e se profissionaliza à passos largos; fazendo com que espaços criados para grandes ou pequenos espetáculos de qualidade, se rendam ao lixo cearense, pernambucano e Bahiano, em nome do lucro e da renda fácil.

Ver um lugar legal, charmoso e com estilo londrino, por isso batizado de THE PUB ; botar no palco um sujeito chamado Geraldinho Lins; ou uma casa super bacana chamada AUDREY(sim, alusão à HEPBURN) abrir espaço pra um grupo de pagode na noite da sexta, e só pra fechar, o restaurante FRIDA, um dos lugares mais interessantes e bem decorados no estilo mexicano que há nessa cidade, fazer festas com patusco,e d`breck, sinceramente me deixam convicto de que essa cidade não é séria, e de que definitivamente não há espaços pra tudo(ecletismo), mas de que espaços dispostos à tudo, inclusive a tornarem-se desde a concepção, mais do mesmo.

Podcast

Lembro que certa vez conversei rapidamente com minha amiga Blogger, a jornalista Camila Nascimento acerca de um artigo científico sobre Podcasts que ela tava desenvolvendo e confesso que à época minha curiosidade pueril não se aprofundou no tema, como sempre, graças à minha habitual necessidade de priorizar as pendecias do trabalho em detritemento da minha vida “real”.

Mas… Tempos depois a justiça divina foi feita e tive a feliz oportunidade “concreta” de me deparar com o formato; que de cara me chamou a atenção por possibilitar aos excluídos pelo mainstream o direito à “cidadania” , o espaço que não têm nas mídias convencionais, especificamente o Rádio comercial.

Assim, enquanto a idéia de montar minha programação autoral via podcast não decola, princi palmente por questões técnicas; recomendo dois sites super legais onde você pode conhecer o formato(caso ainda não o tenho descoberto), e ouvir música boa e de qualidade(Pop e Eletrônica); ambos desenvolvidos por dois caras super bacanas.

1- Blog Do Kid

Uma das maiores autoridades em música do Brasil, hj sem espaço na mídia nacional, e que graças ao formato Podcast, bota no ar seu programa semanal. Se vc curte música de qualidade(Folk , Rock, Indie, Pop) e gosta de ficar bem informado. vale à pena ouvir(O player fica do direito no topo da página).

2- Soulshadow

Loja de música eletrônica Paulista do produtor e Dj Ivan, Cara super legal que conheci em Janeiro, nessa página ele publica a agenda de shows e hospeda podcasts com vários set lists maravilhosos; o foco é a música eletrônica, Gótico, EBM, Industrial, Dark Wave, Synth e Future Pop.

E é isso galera, Bom feriado e bjo pra todos!!!!!!!!

Bajofondo em Recife

Lembra a música de abertura da novela A favorita… aquela mistura de tango com música eletrônica e um toque de jazz? A canção instrumental é do Bajofondo, grupo que, junto com o Gotan Project e o Tanghetto, divulgam pelo mundo o chamado eletrotango. Pois o Recife, pela primeira vez, recebe um grupo do gênero. O sexteto argentino do Tanghetto faz show, sábado, no Teatro da UFPE. Programa imperdível pro fim de semana!

Clipping Colla!

Ontem, o site do jornal argentino La Naciónpublicou uma nota dizendo que a empresa boliviana Organización Social para la Industrialización de la Coca (Ospicoca) começou uma venda em massa de sua bebida energética “Coca Colla”. Não, o refrigerante não tem nada a ver com aquele da gigante americana. Muito pelo contrário: a versão boliviana é feita com extrato de folha de coca.

Desde segunda, cerca de 12 mil garrafas da bebida haviam sido distribuídas. A iniciativa conta com o apoio do governo do presidente Evo Morales. Podemos, portanto, concluir que o refrigerante não tenha o princípio ativo ilegal da coca, apenas a substância que os nativos experimentam quando mascam sua folha.

“Esta é uma iniciativa para que seja uma alternativa de produção na Bolívia. É uma iniciativa muito saudável, porque tem a ver com aindustrialização e comercialização da folha de coca”, disse o ministro do Desenvolvimento Rural, Víctor Hugo Vásquez. Para mim, refrigerante e saúde não combinam!

É hj e eu vou!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Simply Red no Chevrollet Hall!!!!!!!!! Inacreditável, mas como disse noutro post, parece que a breguice e o mal gosto do Forró/Axé/Pagode encontraram um oponente à altura: A presença maciça de público em shows de qualidade como o dehj, antes encarados pelos empresários locais como prováveis fracassos de bilheteria.

Bom, melhor aproveitar a onda favorável e curtir a fase enquanto ela tá rolando né??? Eu pelo menos estarei lá!!!!!!

Again

Se é pra ignorar, então ignore por completo. Não tente de maneira dissimulada transmitir uma simpatia e um carisma que você definitivamente não tem; sugerir problemas, arrumar subterfúgios, mascarar a realidade.
Alías, “adeus” de novo viu… Já fosse e não percebesse mesmo.